Primeira experiência lésbica com a amiga do bairro

Sou a Carolina e vou contar como tive minha primeira experiência lésbica, e foi com uma amiga da minha rua, que apesar de ter a mesma idade que eu (18 anos) já era bem mais experiente no assunto. Eu nunca me imaginei perdendo a virgindade com uma mulher, mas a Júlia, minha amiga, sempre foi bastante curiosa e volta e meia dormia aqui em casa, a gente fazia uma noite só de garotas, uma pintando as unhas da outra, conversando sobre os garotos bonitos que estudavam com a gente, tudo normal de qualquer jovem.

Um dia fiquei a fim de um carinha do colégio, mas comentei com a Júlia que tinha medo de ficar com ele, pois eu não sabia beijar, e esse garoto já tinha ficado com várias outras garotas que estudavam com a gente, então a insegurança bateu com força em mim. A Jú disse que ia me ajudar, só não sabia como, mas ela perguntou se poderia dormir na minha casa, respondi que sim e nos despedimos.

Quando a noite chegou ela bateu na porta, um dos meus pais atendeu e ela subiu para o meu quarto. Começamos a conversar sobre o Ricardo, garoto que eu estava gostando, e acabamos deitando juntinhas na cama. Enquanto a gente conversava, minha amiga me olhava de um jeito diferente, era um olhar de desejo. Ela se aproximou aos poucos e disse que ia me ensinar como agir quando ficasse com o Ricardo. De repente senti ela encostar mais perto e beijar minha boca.

Fiquei muito nervosa, mas minha reação foi de relaxar e corresponder ao beijo como eu conseguia. Nessa hora sentir coisas que nunca imaginei, meu coração começou a bater mais forte, senti meu corpo arrepiar e minha calcinha foi ficando encharcada. Interrompi o beijo nervosa e perguntei se ela estava louca. Ela me respondeu que sempre teve vontade de fazer isso e era uma forma de me ensinar.

Disse que estava com sono e me virei ficando de costas para ela. De repente senti ela se aproximar, fiquei nervosa mas confesso que estava gostando dessa experiência nova. Senti seus seios encostando em minhas costas e logo em seguida suas mãos passearam pelo meu corpo, passando pelos ombros, descendo, até que ela alcançou meu bumbum e começou a massagear. Nossa! fiquei louca de tesão, tava estranhando muito as reações do meu corpo. Ela colocou a mão por dentro do meu short e da minha calcinha e sua mão entrou em contato direto com minha pele.

Ela apertava minha bunda, acariciava e ia me deixando cada vez mais molhadinha. Discretamente dei uma empinadinha pra facilitar o contato, e ela encostou no meu ouvido, começou a sussurrar o quanto aquilo tava gostoso, e que tava sentindo o quanto eu estava molhada. Ela passou a beijar meu pescoço, minha orelha, causando arrepios e sensações deliciosas. Ela me fez virar e voltamos a nos beijar gostoso. Ela acabou tirando minha roupa, me deixou só de calcinha, e começou a chupar meus peitinhos.

Perguntei se ela já tinha feito isso antes, ela disse que uma vez. Ela continuou me chupando, deixando meus biquinhos tesos e foi descendo pela minha barriga e chegou na minha bucetinha. Ela me fez abrir as pernas, afastou minha calcinha e não demorou pra meter a língua no meu clitóris. Ela chupou bem gostoso, fez movimentos que foram me deixando cada vez mais excitada.

Ela me chupou gostoso por um bom tempo, logo depois ela levantou, ficou meio que deitada em cima de mim e introduziu dois dedos na minha bucetinha. Confesso que ardeu um pouco mas era uma sensação super gostosa. Ela me pediu pra abrir mais as pernas e relaxar. Começou a dedilhar gostoso, fiquei com vergonha do tanto que gemi. Quando ela tirou os dedos tinha um pouco de sangue, nada demais, então levantei e fui tomar um banho com ela e a putaria continuou debaixo do chuveiro.

Voltamos pra cama e ela disse que tinha uma surpresa. Tirou da bolsa um vibrador, mandou eu ficar de quatro e começou a colocar ele na minha entradinha. Eu gemi mais ainda e fiquei louca, toda minha vergonha tinha ido embora e quando ela enfiou aquele negócio em mim, comecei a rebolar e gemer igual uma putinha. Ela enfiava e me beijava gostoso por várias partes do meu corpo. Acabei sentindo aquela onda de prazer tomando conta de mim e foi assim que tive meu primeiro orgasmo, na minha primeira relação sexual.

Foi um prazer muito intenso. Pelo resto da noite minha amiga me ensinou muitas coisas, acabei me descobrindo bissexual e hoje mesmo casada, eu e meu marido adoramos chamar minhas amigas pra fazer uma sacanagem com a gente.

Continuar lendo

Transei com a minha vizinha lésbica

Vou contar minha primeira experiência lésbica pra vocês, me chamo Stefanny, tenho 25 anos, sou morena, cabelos negros, 1,65 de altura e um corpo todo trabalhado na academia.

Sempre gostei de rola, adoro sentir um pau grande e grosso entrando na minha xaninha gostosa e sempre deixei os homens loucos com meu grelo saliente, isso me deixava constrangida quando era mais nova, mas quando vi que essa peculiaridade do meu corpo me trazia muito prazer, comecei a relaxar.

Eu namoro a muito tempo o Bruno, a gente tem uma vida sexual ótima e sempre curtimos ver filmes pornô juntos, e o tipo que ele mais curte é de lésbicas e já tinha dado indiretas várias vezes que adoraria me pegar e pegar outra mulher ao mesmo tempo, mas como sou muito ciumenta achei melhor não dar moral pra essa fantasia dele.

Comecei a ficar cada vez mais curiosa com esse tipo de vídeo e ficava toda molhada vendo aquelas mulheres lindas chupando a boceta da outra e gemendo de um jeito sensual, até estranhei, já que sempre fui feminina e nunca pensei em passar nem perto de uma boceta.

Tinha uma vizinha nova aqui do prédio que tinha fama de bissexual e comecei a reparar mais nela, as vezes ela chegava com uma garota e as duas pareciam muito íntimas e me peguei várias vezes pensando nas duas trepando, se chupando e me dava muito tesão a ponto de eu tocar várias siriricas numa noite até minha xaninha ficar toda assada, mas o importante era gozar.

Continuar lendo

Minha primeira transa com uma mulher

Olá, eu me chamo Stefanny, tenho 24 anos e o que aconteceu comigo faz muito pouco tempo, então decidi contar aqui para vocês como começou a minha aventura lésbica com uma “amiga”.

Eu tinha terminado uma relação de anos com um cara e resolvi passar um bom tempo sozinha para curar as feridas, mas isso não foi nada fácil já que eu era e ainda sou super viciada em sexo, daquelas que se masturba várias vezes no dia, que já acorda com tesão e até no trabalho eu ficava louca de vontade de sentir um pau gostoso penetrando na minha buceta, que a essa altura, tanto tempo sem foder, já devia ter ficado bem apertadinha novamente.

O meu noivo Luiz acabou terminando comigo nas vésperas de morarmos juntos, por causa de uma mulher, que é bem feia diga-se de passagem, nem se compara a mim modéstia a parte, mas eu sempre fui uma mulher que procurou se cuidar e a genética me ajudou bastante, eu malho todos os dias e atraio muitos olhares onde passo, mas depois da decepção com meu noivo eu fiquei decidida a não querer ninguém, mas foi só por um tempo.

Conheci um cara chamado Ariel que era bastante filho da puta e mentiroso, comida geral depois vinha no meu apartamento só pra me comer e caia fora, então acabei me fechando para os homens rs mas recentemente resolvi baixar um aplicativo de paqueras e acabei conversando com muitos caras, mas um dia uma mulher veio no meu perfil e deixou um recado, fiquei intrigada e fui fuçar o perfil dela, confesso que nunca me senti atraída por mulheres, meu negócio sempre foi rola mesmo, mas aquela mulher tinha uma cara de safada, alguma coisa que não sei explicar direito, então respondi a mensagem e no dia seguinte ela leu e começamos a conversar.

Continuar lendo
Fechar Menu